jump to navigation

Consumidores terão que comprar sacolas biodegradáveis

Divulgação

As sacolas de polietileno que levam 400 anos para desaparecer da natureza estarão totalmente fora de circulação a partir do dia dois de julho deste ano. Os supermercados devem começar a cobrar pela sacola oxibiodegradável ou biodegradável, ambas se deterioram em 18 meses.

A Associação Mineira de Supermercados (AMIS) afirma que pelas sacolas biodegradáveis feitas de amido de milho, serão cobrados R$ 0,19 a unidade e alguns supermercados de Uberlândia cobraram R$ 0,10 pelas sacolas oxibiodegradáveis.

De acordo com a AMIS, os supermercados e afins já realizam campanhas que conscientizam a população usarem sacolas retornáveis de pano ou caixas de papelão fornecidas pelos estabelecimentos. “Sabemos que, de início, o consumidor não vai se agradar, mas, logo quando entender a motivação, vai nos apoiar”, disse.

Alguns estabelecimentos fornecem as sacolas biodegradáveis sem nenhum custo ao consumidor, pois se dizem conscientes que essas são as ideais para não prejudicarem a natureza, mas acreditam que será difícil manter esse método gratuito, pois estas sacolas custam cinco vezes mais do que as de polietileno derivada do petróleo.

Na sociedade ainda existe discordância, há consumidores que preferem o antigo método do uso da sacola, e os que preferem ser ecologicamente corretos. Segundo a operadora de máquina Margarida Rodrigues o custo deveria partir do supermercado ao invés da população. “Esta deve ser uma preocupação do mercado, pois são eles que devem fornecer o meio, para os clientes levarem suas compras para casa, seria um roubo nos obrigar comprar estas sacolas, além do mais gosto delas, reaproveito-as para colocar na lixeira, senão seria um custo a mais ter que comprar aquelas sacolas pretas para “encapar” a lixeira”, justifica Margarida.

Já a dona de casa Selma Conceição concorda com as sacolas menos prejudiciais a natureza, “O primordial é pensar em não destruir o meio ambiente, nem que para isso tenhamos que gastar um pouco mais, minha preocupação é de como será o futuro dos meus netos e bisnetos”, lamenta a dona de casa.

A multa prevista para quem descumprir a nova determinação é de aproximadamente R$ 85,71 a R$ 821,56 segundo a fiscalização da lei e será realizada pela prefeitura. A Secretaria de Comunicação ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Por karol Mascarenhas

02/06/11

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: