jump to navigation

HPV: Intimidade em perigo

                                                                                                                                             Por Lana Arantes

17/03/2011

     

A vacina é aplicada no braço Foto: Flávio Naves

    O HPV (vírus do Papiloma Humano) é a principal doença viral transmitida pelo sexo, envolvido em quase todos os casos de tumores na área genital. São centenas de tipos: 40 deles têm preferência pela mucosa genital, causando verrugas ou tumores na região.

            A contração da doença é muito fácil: basta manter relações sexuais sem proteção (isso inclui as preliminares e o sexo oral). A contaminação por objetos, embora possível, é raríssima.

            O contágio ao vírus no homem é tão freqüente quanto nas mulheres, mas a higiene é mais fácil, por isso quando manifestada, a doença pode ser tratada rapidamente. A maior incidência está justamente entre mulheres com menos de 25 anos, porque o colo do útero das adolescentes está em formação, e por isso, mais vulnerável.

            A camisinha só não garante 100% de proteção porque não cobre toda a superfície de contágio, por isso, a melhor forma tem sido a vacinação, cuja eficácia é alta (em torno de 95%), protegendo a pessoa por cerca de oito anos.

            Segundo a funcionária de uma clínica particular de vacinas em Uberlândia, Léia Rodrigues, a vacina pode ser tomada a partir dos nove anos de idade, e não há restrição. Ela ainda alerta sobre a diferença entre as vacinas disponíveis no mercado: a bivalente protege contra os principais vírus cancerígenos, e custa em média R$ 200 reais a dose. A quadrivalente é mais completa, protegendo contra os vírus causadores do câncer e as verrugas genitais. O valor aproximado é de R$ 400 a dose. Ambas as vacinas possuem três doses, que devem ser tomadas num prazo de um ano. Em qualquer um dos tipos, o importante é proteger a saúde íntima, sem riscos!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: