jump to navigation

Mais do que uma simples fruta

 Por Thais Medeiros
16/06/2011

Com um cheiro inconfundível, o maracujá possui propriedades que vão além do que muitos imaginam

O maracujá acalma até os mais estressados, mas seu poder vai além das propriedades relaxantes.

Seja roxo ou amarelo, doce ou azedo, o maracujá tem como característica ser uma planta trepadeira de grande porte, lenhosa, vigorosa e de crescimento rápido. Apresenta grande variação no tamanho, formato, peso, coloração e sabor dos frutos. Sua importância está na alimentação humana, na forma de sucos, doces, geléias, sorvetes, licores etc. É rica em vitamina A e C, além daquelas do complexo B, B1, B2 e B5, minerais como cálcio, fósforo e ferro. A fruta possui também várias propriedades terapêuticas.

            Uma delas mexe como o olfato e o corpo. A linha Natura Ekos (banho, cabelo, corpo e perfumaria) tem como produtos vários ativos da natureza, que unem a tradição popular ao uso sustentável de propriedades da biodiversidade brasileira. Um deles é o maracujá. Da polpa, é extraído um verdadeiro elixir aromático totalmente natural, que compõe sua fragrância por várias horas e deixa a pele macia. O resultado é obtido através do contraste entre o azedinho e o doce da fruta. Contém extrato aromático de maracujá e álcool vegetal orgânico.

            Sobre a participação do maracujá na saúde, estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro mostra que a casca do maracujá, transformada em farinha, é capaz de diminuir a taxa de açúcar no sangue e impedir que o organismo absorva a gordura dos alimentos, ajudando na perda de peso. “A sua utilização é vista com muitas reservas em função das condições de processamento, pois podem ocorrer contaminações por microrganismos”, afirmou a professora e gestora do curso de Nutrição do UNITRI, Regina Morsolleto.

            Além de ajudar na perda de peso, o maracujá contém propriedades depurativas, sedativas, antiinflamatórias e funciona como um antioxidante. Contudo é um aliado e tanto para a calma. Acredita-se que os flavonóides presentes na espécie vegetal sejam os principais responsáveis pelas atividades farmacológicas. “Estes constituintes, em sinergia com os alcalóides também presentes no vegetal, promovem ações depressoras inespecíficas do Sistema Nervoso Central – SNC, contribuindo para a ação sedativa e tranquilizante”, diz a nutricionista.

            Porém, os dados existentes até hoje não permitem uma conclusão definitiva a respeito da identidade das substâncias ativas e os mecanismo de ação. Sabe-se que para acalmar teria que comer muito maracujá para ingerir substâncias em quantidade suficiente. Um suquinho não acalma, é psicológico.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: